20 janeiro, 2012

"Give Your Heart a Break" é, basicamente, a canção perfeita, diz review da MTV


Oh, olá, meus “rascacielos”! Sou Sam Lansky, jornalista de música pop, e este é o Pop Think, onde eu elogio, sem vergonha nenhuma, os artistas que fazem meu coração pular uma batida. (Alguém poderia, provavelmente, dar um tempo a ele!)

O assunto dessa semana é a minha garota, Demi Lovato, que superou alguns grandes obstáculos para lançar a mais triunfante e devastadora baladinha do ano passado, “Skyscraper”. Agora, ela visa o sucesso contínuo com seu mais recente single, “Give Your Heart a Break”, uma das mais perfeitas canções do puro pop dos tempos recentes. O histórico de Demi em excelência pop permanece “inquebrável”, e examinarei por que “Give Your Heart a Break” é um de seus melhores trabalhos até hoje. 

No fim do ano passado, twittei que o jeito como a voz de Demi falha na palavra “in” aos 2:49 minutos de “Give Your Heart a Break” é o Melhor Momento da Música Pop do Ano, e um monte de gente retuitou; isso prova que eu estava empiricamente correto. (É assim que a internet funciona, certo?) De fato, já que ela está lançando essa música como single no dia 24 de janeiro, este provavelmente será o Maior Momento da Música Pop em 2012, também. Mas, falando sério, preste atenção naquele pequeno momento na canção, porque ele resume tudo o que há de admirável em Demi como musicista: Até quando ela canta música pop bem produzida, e escrita por um nicho de super-compositores, há uma vulnerabilidade muito pessoal que sustenta seu talento, algo lindo e triste, e ironicamente, um pouco “quebrada”, na melhor maneira possível. 

Não foi, afinal de contas, por acidente que seu último álbum de estúdio foi intitulado “Unbroken”, graças ao ano tumultuoso que precedeu o lançamento do disco. O primeiro single, a derradeira obra prima “Skyscraper”, era sobre triunfo e sobrevivência, mas o álbum é muito mais diverso, em termos de som e temática: É pesado com baladas de clube e músicas de festa, incluindo colaborações com Missy Elliot and Dev; e explodindo com pop picante e meios tempos carregados melodicamente, na segunda metade. 

Mas, depois de uma canção como “Skyscraper”, que se tornou instantaneamente a definição de Demi, foi esperto seguir seu lançamento com “Give Your Heart a Break”, que carrega uma sutil batida emocional, em seu direito próprio. É também uma música sobre dor, mesmo sendo mais sobre contratempos românticos do que sobre ‘superação-de-obstáculos’ inspiradora, na vibe de "Skyscraper". 

Demi trabalhou com alguns dos melhores escritores e produtores no jogo musical, em Unbroken, desde o R&B de Timbaland em “All Night Long” até os arranjos emotivos de Toby Gad em “Skyscraper”, mas “Give Your Heart a Break” tem um pedigree pop que é lendário, literalmente: Foi rabiscada por Billy Steinberg e Josh Alexander, o duo colaborador responsável por várias das mais icônicas canções pop da última década, incluindo hits para o consistentemente brilhante duo de irmãs australianas ‘The Veronicas’, e a épica “Too Little, Too Late” de Jojo. Antes de colaborar com Josh Alexander, no entando, Billy Steinberg escreveu músicas que definiram o som de uma geração, como “Like a Virgin” de Madonna, “True Colors” de Cyndi Lauper” e “Alone” do Heart – músicas que detonam em listas pop como as mais brilhantes e icônicas faixas já gravadas. (A Rolling Stone e a MTV nomearam “Like a Virgin” como a quarta melhor canção pop de todos os tempos. Nada demais.) 

E a produção é, previsivelmente, super, já começando com um arranjo de cordas atrevido, a La “Viva La Vida” e uma bateria de bater o pé antes de o refrão nos trazer uma cascata de violinos. Na ponte, um piano brilha, discreto. Mas é a voz dela que realmente nos mata nesta canção, uma grande e linda rouquidão que é inesperadamente poderosa e capaz de nos entregar sérias emoções. O vocalista do One Republic e compositor de primeira linha, Ryan Tedder, disse de Demi, quando eles trabalharam juntos no “Unbroken”: ‘Não sabia o quão boa a voz dela era. Ela é uma das melhores cantoras com quem já trabalhei. Literalmente, muito boa... digo, ela é uma vocalista do nível da Kelly Clarkson. E a Kelly tem uma ótima garganta!” E, como Kelly, Demi consegue empacotar vocais espetaculares e uma profundidade arrepiante numa canção pop densa e animada; ela não precisa do tempo arrastado de uma balada para nos mostrar o quão bem ela sabe cantar. 

Especialmente quando ela trabalha com letras como as de “Give Your Heart a Break”, que conta uma história sobre paquerar um cara que está um pouco machucado. “No dia em que te conheci pela primeira vez/Você me disse que nunca se apaixonaria”, ela reconta, antes do refrão explodir: “Não quero partir seu coração/Quero dar um tempo ao seu coração.” O jogo de palavras no termo “heartbreak” é esperto o suficiente, mas a música é cheia desses momentos pungentes como esse, como a triste maneira afetuosa com que Demi expira o termo carinhoso “Meu amor” no segundo verso, ou o jeito como a faixa pára enquanto ela grita as palavras “Baby, tente entender”, revelando apenas o poder esmagador de seu vocal; ou até mesmo, aquela minúscula falha em sua voz enquanto a canção toma sua forma final lá pelos 2:49 (que é realmente incrível, se você ainda não ouviu). 

Mas é bem mais do que só ela cantando “Give Your Heart a Break” bem pra caramba (o que ela sempre faz). Em ultimato, é o som de várias partes grandiosas se juntando – o talento inquestionável dos escritores e produtores e os impressionantes dons naturais de Demi como vocalista, e a sofisticação da artista que ela está se tornando, uma que é capaz de embutir uma performance vocal com extraordinária textura e ressonância emocional. Se ela continuar a lançar canções como “Give Your Heart a Break”, acho que ela será uma artista da qual ouviremos falar durante um bom tempo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário