01 março, 2012

Entrevista de Demi Lovato ao Metro News UK


Demi Lovato lançou o single “Skyscraper” no Reino Unido essa semana e entrevista ao jornal  Metro

falou sobre ser uma inspiração, a sua carreira, seus planos para o futuro e muito mais. Leia a seguir:

"A minha temporada na reabilitação inspirou meus fãs a lidarem com seus próprios problemas também," disse a ex-estrela da Disney, Demi Lovato de 19 anos, que agrediu uma das dançarinas do Jonas Brothers e ingressou no centro de tratamento em 2010. Ela fez uma volta ao pop com o novo álbum “Unbroken” e aqui, fala para o Metro sobre superar os seus demônios e por que ela ama tanto os seus fãs.
M: O que nós podemos esperar do CD?
DL: Várias músicas dançantes, algumas canções sobre amor e sobre coração partido, mas também algumas músicas onde eu falo sobre os problemas com os quais eu lidei.

M: O single é bastante emocional, não é?
DL: É muito emocional sim. Ele é sobre superar os seus problemas, é sobre força. Mas nem todas as músicas do álbum são como ele. Eu quis manter o CD mais animado.

M: Você também gravou uma canção sobre o seu relacionamento com o seu pai distante. Por quê?
DL: Nunca falei sobre isso. Então eu quis escrever uma música expressando os motivos pelos quais nós não nos falamos e compartilhar o meu lado da história.

M: Você teve um período turbulento. Qual foi o seu ponto mais crítico?
DL: Quando entrei em tratamento, mas eu o superei e estou mais forte do que nunca.

M: O que te levou a isso?
DL: Graves problemas que eu ignorei durante vários anos. Eu deveria ter buscado a ajuda que eu precisava há muito tempo atrás, mas eu os deixei piorar, o que não foi uma decisão saudável.

M: O que são as suas novas tatuagens?
DL: Eu tenho um coraçãozinho no meu pulso, que os meus fãs costumavam desenhar nos deles todo dia quando eu estava em tratamento. Eu achei que era o melhor jeito de dizer obrigada, então eu tatuei um no meu. Foi incrível ter aquele apoio e eu não estaria na posição que estou hoje sem eles. Olho para os meus pulsos todo dia e fico muito grata pelos meus fãs.

M: Os fãs têm dito que você é um exemplo de como lidar com transtornos alimentares?
DL: Eles dizem que eu sou uma inspiração para eles buscarem ajuda para lidar com seus problemas, sejam distúrbios alimentares ou automutilação (Lovato teve problemas pessoais com os dois). Eu não esperava que isso acontecesse. Eu só queria ser uma cantora. Isso tem dado mais significado a minha jornada.

M: Você considerou abandonar a indústria do entretenimento?
DL: Com certeza. Eu pensei: 'Estou exausta, as pessoas não entendem e muitas delas estão sendo negativas em relação a mim.' É difícil. Existem tantas pressões que são colocadas sobre você quando você está nessa indústria. Mas eu amo fazer isso, eu amo cantar, não quero desistir só porque está ficando mais difícil.

M: Você gostaria que seus filhos ingressassem no showbiz tão jovem?
DL: Eu comecei quando eu tinha sete anos, mas só atuei durante um ano. Eu tive uma infância muito normal. Se eles quiserem fazer isso, eu vou deixar, mas eu não os encorajaria.

M: Crianças são capazes de lidar com uma agenda tão carregada como você fez?
DL: Sim, elas fazem isso o tempo todo. Existem leis que especificamente impõe quantas horas uma criança pode trabalhar. Porque ao mesmo tempo, é importante para as crianças serem crianças. Eu preferiria deixar o meu filho ser criança.

M: Quais lições a indústria musical te deu?
DL: Seguir adiante e nunca parar.

M: Você pesquisa sobre si mesma na internet?
DL: Todo mundo faz isso. Eu gosto de ver se meus sapatos combinaram com o vestido no tapete vermelho ou como o meu cabelo estava em um evento. Você quer ver como as pessoas reagem com seus novos vídeos ou novas músicas. Você precisa ver o que seus fãs gostam, precisa saber o que eles acham, por isso você tem que recorrer a internet para ver isso. Mas isso não significa que todo mundo tem o direito de dizer qualquer coisa que elas queiram na web. Você só precisa desenvolver uma abordagem seletiva e ser capaz de ver que as pessoas estão apenas sendo babacas por causa disso.

M: Você responde a eles?
DL: Eu twittei alguém de volta uma vez. É engraçado porque eles não esperam que você faça isso. Fizeram algum comentário e eu respondi 'você é rude'. Na maioria das vezes eu ignoro, mas dessa vez isso me fez se sentir um pouco melhor.

M: Quem você gosta de ouvir?
DL: Sou uma grande fã da Rihanna. Adoro a atitude dela e o seu novo álbum. Amo o novo CD da Kelly Clarkson também.

M: Quais têm sido os pontos auges da sua carreira?
DL: Ter um álbum número 1 da Billboard e vencer prêmios no Teen Choice e People's Choices Awards.

M: Qual foi a sua compra mais extravagante?
DL: Eu comprei uma Mercedes conversível – uma E350 ou algo assim. Eu não sei. É o meu carro, eu o dirijo todo dia. Não é um brinquedo, então investi bastante nisso.

M: Quais são os prestígios da fama?
DL: Ter uma voz e impor-la para coisas nas quais você acredita. Ser capaz de inspirar as pessoas através da música. Eu apoio campanhas contra o bullying.

M: O que mais você gostaria de conquistar?
DL: Ganhar um Grammy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário